oklima em verso e prosa
Contos e Versos
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato
Textos

A imagem pode conter: nuvem, céu, atividades ao ar livre e natureza

(Imagem do Google)


ESFINGE

Odir Milanez
 
Aos meus olhos o mar se fez pequeno,
fez-se silêncio junto aos meus ouvidos.
Não é que esteja ele mais ameno.
Eu é que reduzi os meus sentidos.
 
Não escuto e não sinto os seus bramidos.
Sequer de espumas vejo algum aceno.
Está vazante o mar, está sereno,
enquanto intensifico os meus gemidos.
 
Por que do mar tamanho revertério?
Ele não mais retumba um impropério,
sequer desejos deixa sobre a areia...
 
O mar se encolhe  seco, mudo e sério.
Esfinge sou, guardando o meu mistério
de ser mar, que nos mares não mareia!...
 
JPessoa/PB
10.02.2017
oklima
 
Sou somente um escriba
que escuta a voz do vento
e o versa em versos à vida...
 
Para ouvir a música, acesse:
 
http://www.oklima.net
 

 
oklima
Enviado por oklima em 10/02/2017
Alterado em 10/02/2017

Música: Old Waltzes - Sphinx_ (1906) by Francis Popy - Desconhecido

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários